sexta-feira, 29 de junho de 2012

Eu preciso não precisar de você.

Será que você vai conseguir dormir hoje? Acho que vai. O pior é que eu acho que vai. Você sempre dorme. 
Será que se eu ligasse agora, se você visse como estou sofrendo, se pedisse pra voltar pra mim, você me atenderia? Só que eu não vou ligar, eu não vou ligar. Vou morrer de vontade, mas não vou ligar. Acho que vou morrer mesmo. De qualquer jeito, se ligar, se não ligar. Mas hoje eu não posso, hoje eu não quero querer, nem precisar. E sabe por quê? Porque você "deixou" que eu te procurasse quando precisasse. Porque fui estúpida ao pedir consentimento para te procurar quando eu precisasse. Uma coisa dessas não se pede, uma coisa dessas não se deixa. Você sabe que eu preciso de você o tempo inteiro. Você devia ter dito que não, que ligaria pra mim, todos os dias, pra saber se precisava de alguma coisa, de você. E eu diria que não, que estava bem, que estava sendo mais fácil do que eu pensava. Que não era tão difícil ficar sem você. Bom. E eu que minto sempre, como uma louca, o tempo todo, pra ver se eu acredito nas bobagens que invento. Mas só você não vai ouvir, porque eu não vou te ligar. Hoje não. Mesmo que eu fique acordada toda a noite, lembrando do que você falou: "É melhor a gente descruzar os caminhos, tá tudo muito embolado. Não sei se te quero mesmo, ou se estou acostumado, viciado em você." Eu tô viciada e te quero mesmo, tenho certeza, mas não vou ligar. Não vou. Hoje não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado e volte sempre!