quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

coração quebrantado

As palavras já não saem com tanta facilidade, fico horas olhando pra tela do computador sem ter o que escrever, só sentindo... Sentindo o coração pulsar, e ao mesmo tempo parar dentro de mim.
Durante meses vivi uma felicidade que pensei "esperei tanto tempo pra isso, tá valendo a pena". E hoje, hoje minha certeza plena é que ela me abandonou, mais uma vez, essa felicidade acabou-se, assim como sempre foi, me deixava boba, apaixonada e caía fora. É, eu não tô legal, passei a noite em branco, pensando sobre o que escreveria, passei a noite chorando como nunca chorei em toda a minha vida.
Tá fácil perceber que passei a noite chorando, meus olhos já não negam mais, o lápis preto nem a maquiagem, já não disfarçam mais. Eu já não tenho mais forças pra lutar, lutar por essa felicidade tão difícil. Meu olhar procura por algum rosto parecido com o seu, mas não vejo, não encontro.
De repente me lembro de uma frase que vi por aí: "Quem disse que viver seria fácil?" é, agora sei o verdadeiro sentido dela. Já não consigo pensar direito, comer direito, nem viver direito. Pensamentos desconexos me tomam por completa, e é difícil controlá-los todos de uma só vez, é, eu sei, até eu mesma tô sem nexo.
O dia tá frio lá fora, e eu odeio dias frios, me trazem o que eu tanto quero esquecer.
Sinto saudades do tempo em que eu era criança, onde joelhos ralados doíam bem menos que coração partido.