sábado, 10 de setembro de 2011

Sobre a vida que escorre pelos meus dedos...

Eu não sou nada e a desgraça cai sobre minha cabeça e eu só sei usar palavras e as palavras são mentirosas e eu continuo continuo a sofrer, afinal, o fio sobe a parede escura. Eu só tenho uma vida e essa vida escorre pelos meus dedos e encaminha-se para a morte serenamente e eu nada posso fazer e apenas assisto ao meu esgotamento em cada minuto que passa, sou só no mundo, quem me quer não me conhece, quem me conheceme teme e eu sou pequena e pobre, não saberei que existi a poucos anos, o que me resta para viver é pouco e o que me resta para viver no entanto continuará intocada e inútil, por que te apiedas de mim? Que não sou nada, dai-me o que preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado e volte sempre!