terça-feira, 30 de agosto de 2011

Pra ler ouvindo Clarisse, Legião Urbana.


E hoje finalmente eu terminei de ler aquele livro, aquele que há dias vinha adiando.
Veronika Decide Morrer, de Paulo Coelho, conta a história da jovem Veronika que tenta suícidio e acaba indo parar num sanatório, e lá, distante do mundo, diante da ânsia da morte que nunca chega, somente lá, reconhece o valor da vida e descobre o verdadeiro amor, a história é muito linda! Ela deveria me fazer pensar no valor da vida, das pessoas que realmente me amam, mas logo eu, a garota que vive tentando suicidar-se, mas que sempre deixa pro dia seguinte, porque não tem coragem o suficiente pra fazê-lo! Logo eu que ando pelos cantos com medo de que as pessoas pudessem ver esse meu lado triste, o lado que eu sempre escondo por trás de um sorriso.
Ultimamente, ando vivendo menos. Sinto que minha vida, minha juventude estão indo embora e eu, pra falar a verdade, não tenho mais nem vontade de vivê-las. A vida social de antigamente, os amigos, tudo ta indo embora também, e pra dizê-lo a verdade, não sinto falta... Ta, só de vez em quando, quando lembro de todas as bebidas, de todos os cigarros, das cinza que junto com elas também iam as minhas, lembro da todas as vezes que voltei pra casa me sentindo vazia e suja por ter dado pra mais um, mas, sabe quando tu já não consegue mais viver por exatamente ter medo do que as pessoas possam fazer com você, com seu coração?
VAZIO, é essa a sensação que eu tenho todos os dias ao acordar, e junto vem a vontade de viver menos, de amar menos, porque eu sempre amo demais, meu defeito é me doar demais e receber de menos... A vida me decepciona, as pessoas me decepcionam, eu sou uma decepção!
"Estou cansado de ser vilipendiado, incompreendido e descartado/Quem diz que me entende nunca quis saber..." Dessa vez, quem canta é o Legião Urbana, e revejo minha vida inteira passar como um flash back. Quando ponho os fones de ouvido, eu esqueço do mundo, das pessoas e até mesmo de mim, do que eu era antes e como eu me tornei hoje. Uma pessoa triste e sem vontade de viver.
Algumas pessoas me falam que eu preciso voltar a gostar de mim mesma, que devo convencer-me de que sou capaz de tomar minhas próprias conclusões. Que eu não posso ser empurrada para coisas que eu não escolhi. Pra mim, a morte na maioria das vezes é uma bênção..

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado e volte sempre!